segunda-feira, junho 04, 2007

Vazio e compensação (excerto)

por Simone Weil

Tendência em espalhar o mal fora de si: ainda a tenho! Os seres e as coisas não me são suficientemente sagrados. Pudesse eu nada macular, quando estivesse inteiramente transformada em lama. Nada macular mesmo em meu pensamento. Mesmo nos piores momentos eu não destruiria uma estátua grega ou um afresco de Giotto. Por que, então, outra coisa? Por que, por exemplo, um instante da vida de um ser humano que poderia ser um instante feliz?

* * * *

3 comentários:

Lou Mello disse...

Com a Simone Weil sempre é preciso lembrar que as palavras foram cunhadas com sofrimento indescritível. Se ela teve a intenção em nada macular, mas sofreu a miséria de não consegui-lo plenamente, imagine meros sofredores como nós. Se bem que acredito nela, completamente, e não é necessário provar nada. Muito menos em mim.

Felipe Fanuel disse...

Eu sou mais panenteísta então do que ela, pois é impossível não encontrar sagrado em tudo o que existe no mundo. Não é que tudo é igual a sagrado, mas é que o sagrado é igual a tudo. Só isso.

Abraços!

Janete Cardoso disse...

Todo pecado, envolve mais de uma pessoa. Entendo que não seja possível estar "elameado" e não causar sofrimento nos outros.

beijo!