quarta-feira, junho 06, 2007

Virtudes

Não quero aquele terrível encontro com minhas parcas virtudes. O encontro em que elas se multiplicam em outras tantas de matéria ilusória, em que pincelam miragens carnavalescas nas paredes cinzas da minha alma. O encontro fatídico em que se alimentam da própria cauda, em ritual canibalístico.

Que sejam elas, as minhas virtudes, silenciosas. Surdas, se possível. Nunca inclinadas a ouvir meus gritos desesperados, afiados qual lâminas homicidas.

Trapos, trapos, ocultem sob vosso manto inviolável os resquícios das minhas virtudes.

* * * *

3 comentários:

Lou Mello disse...

Fiquei curioso em saber quais são as suas virtudes, além de escrever, claro.

Alysson Amorim disse...

Acho que nenhuma. Pelo menos assim preservo uma: a modéstia.

Acabei de perdê-la...

Abraços. =)

Janete Cardoso disse...

rsrsrssr uma delas é esse humor!
Sei de uma lista delas...
bjs