terça-feira, janeiro 29, 2008

A função religiosa da alma

C.G.Jung

Se comprovo que a alma possui naturalmente uma função religiosa, e se levo adiante a idéia de que a tarefa mais distinta de toda a educação (do adulto) é tornar consciente o arquétipo da imagem divina e seus respectivos efeitos e difusões, a teologia vem sobre mim e tenta me dirimir do “psicologismo”. Se na psique não existissem grandes valores referentes à experiência (sem prejuízo do já existente antinomon pneuma), a psicologia não me interessaria nem um pouco, já que a psique seria, então, nada mais que um deserto miserável. Mas com base em centenas de experiências sei que ela não é assim. Ao contrário, ela contém o correlato de todas aquelas experiências que formularam o dogma, e ainda mais alguma coisa que a torna capaz de ser o olho definido para ver a luz. (...) Acusaram-me de “deificação da psique”. Foi Deus, e não eu, quem a deificou! Não fui eu quem criou para a alma uma função religiosa. (...), somente expus os fatos que comprovam que a alma é naturaliter religiosa.

* * * *

3 comentários:

Edemir Antunes Filho disse...

Alysson,
graça, paz e bem!

Gostei da citação. Eu não imaginava que por aqui rondava uma alma junguiana.

Um forte abraço.

Alice disse...

rrsssss... é isso aí !
bjus

William_droops disse...

Assinei o RSS do seu blog, mas gostaria de receber as postagens antigas também, como proceder ??

Obrigado
william@agenciaw.com