segunda-feira, outubro 15, 2007

Coadjuvar

Pura vaidade nosso quase irresistível, quase hilário desejo de ocupar sempre e mais algumas vezes o ponto central do palco, de tentar protagonizar a cada segundo, a cada milésimo de segundo, pois fomos tomados pela imbecil certeza de que não nascemos para coadjuvar.

* * * *

9 comentários:

Lou Mello disse...

Isso tema a ver com nossa necessidade de valor. Vivemos buscando se valorizados e o palco é um lugar ideal para receber aplausos, especialmente na condição de protagonistas.

Mamanunes disse...

Êta povinho mais carente esse que nos tornamos depois da queda...
É isso mesmo. Carente de tudo.

Eu gostei tanto disso que você escreveu:

"Acreditem: até o burburinho da cidade tem algo a contar sobre o Deus em quem deposito minha precária fé."

bjk
:)

Janete Cardoso disse...

Oi! :)
Essa necessidade do homem de se colocar no centro, é o que o afasta de Deus... protagonistas demais, ninguém quer ser o coadjuvante! Guerra de egos.
Beijos

Felipe Fanuel disse...

Você descreveu a condição humana em curtas linhas.

Roger disse...

Gostei da dica do Brabo, da música, e do Coadjuvar.
Parabéns Amorim por protagonizar essas coisas!!! ?

Maya disse...

Querido Alysson,

Li seu coment lá no Blog! Respondi com uma carta...

Bjos...

Maya

Maya disse...

Ah não, sem essa, eu sou uma copadjuvante e o Davi é o protagonista!!!

Rubinho Osório disse...

E o que é a internet, senão um palco virtual onde somos sempre protagonistas do nosso próprio blog?

Dos dois lados do Equador disse...

Alysson, companheiro de jornada,

Que caminhemos na proposta da individuação, sabendo que palco ou platéia são apenas categorias.

No entanto, é no coração - esse sim, o palco por exelência - onde todas as peças são protagonizadas.

Deus nos leve a caminhar como adultos,

Bjão,