segunda-feira, outubro 01, 2007

Mané

Não tenho bile para suportar o cínico joguete político do escambo de favores. Confesso que tentei. Confesso que continuo tentando, mas saio sempre enojado com o odor do meu próprio vômito. Sou um miserável incapaz da mais inofensiva negociata, embora nunca fique isento do desejo, quando não da tentativa frustrada. Um criminoso amador, um pecador incompetente, eis o que sou.

Idealizo homéricos pecados que jamais consigo consumar: a culpa atinge-me por antecipação. O touro com os chifres mais afiados comeu em demasia e já não pode atacar. Carga excessiva.

Os mineiros do Tianastácia cantam uma verdade:

"Se o cara nasce mané,
cresce mané,
morre mané."

* * * *

5 comentários:

Maya disse...

EU AAAAAAMMMMMOOOOOO ESTA MÚSICA!!! ASSIM, HIPERBOLICAMENTE, EXAGERADAMENTE, MESMO!

ALIÁS, EU AMO O ALMIR SATER, O RENATO TEIXEIRA...

ME MANDA ESTA MÚSICA POR E-MAIL???

mayalu71@hotmail.com

EU A TENHO COM O RENATO TEIXEIRA, MAS NÃO COM O ALMIR SATER...

GRACIAS

Maya disse...

OK, sobre seu texto, agora... Na vida social estamos continuamente negociando, essa é a própria constituição do diálogo... Entendi o que você disse. Você não compactua com a desonestidade. Mas a negociação faz parte da nossa vida social e mesmo da vida dos bonobos e dos chimpanzés, por exemplo, outros primatas.
Vida em sociedade é negociação, por mais que essa palavra nos soe, hoje, horrenda. É jogo, o jogo do qual fala L. Wittgenstein, em seu Tratado Lógico-Filosófico: "Mas pensemos no entanto em que casos é que dizemos que um jogo é jogado de acordo com uma regra determinada. (...)" Parte I, vs. 54, p. 218(Esse é só um trecho, acho que solto assim não dá pra ser bem compreendido... Não sei...).

Felipe Fanuel disse...

Cara,

Quanta crise! Tá parecendo eu em véspera de feriado. Fico pensando se o jeito é ficar se auto-comiserando assim. Sei lá! Cada macaco no seu galho. Melhor não dizer nada enquanto a mar estiver pra peixe do lado de cá. Mas, ouça, meu Amigo, melhor parar de acreditar um pouco no que os seus tímpanos estão a escutar domincalmente. Isso não costuma fazer bem para saúde de gente como você. Deixa essa lorota pra lá! No final verá quem de fato é mané.

Aquele abraço.

Hernan disse...

Cara, por vezes me sinto assim como você competentemente descreveu. Obrigado.

Fui trazido aqui pelo meu amigo Paulo Brabo. Ele tinha razão em recomenda-lo, como quase sempre tem razão em tudo. Ler isso aqui é uma delícia.

Abs.

Alysson Amorim disse...

Caro Hernan,

Não deixe de voltar a gravar por aqui suas preciosas impressões.

Um forte abraço.