quinta-feira, novembro 29, 2007

Pesadelos

Estou sonhoso demais: acho que a alma encontrou deliciosas e fartas provisões em algum sítio, talvez um livro, talvez uma constelação de idéias distraídas - talvez nenhuma coisa nem outra, e agora, saudável, roliça, lambe os beiços e dana a sonhar. Sonhar pesadelos, que são sonhos pesados, concretos.

Em casos muito especialíssimos o mais grave pesadelo é nada sonhar. No geral, este é apenas o segundo maior pesadelo: o maior, para o grosso das gentes, é abrir as pálbebras ao som estridente do despertador.

Ao transitar por vias obscuras, sufocadas por nuvens pesadas, minha alma dá sinal de que vive ainda: não deixou o corpo, como acontece a alguns santos, que mergulham-na no mar da calmaria: o corpo, nestes casos, é apenas um apêndice inútil que nada espera.

Meu corpo espera demais, útero de paixões que talvez tenham encantado o paladar da alma, que anda assim, sonhando coisas desavergonhadamente concretas: o que um carola chamaria de pesadelo.

* * * *

3 comentários:

Janete Cardoso disse...

Oi, Alysson,
Me identifico tanto com suas palavras... justamente com o barulho estridente do despertador, me vejo agora obrigada à voltar pra minha vida!
Obrigada por sempre confortar minha alma...
beijo

MamaNunes disse...

Alysson, meu amigo, quer dizer que andas "sonhoso"? *rsss..

Que texto!!!!!
Longe de ser santa, tenho desses pesados sonhos, dia e noite,
e não tenho despertador...

Você deve conhecer o poema:

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso prever ser nada.
À parte isso, tenho em mim
Todos os sonhos do mundo.
*Fernando Pessoa*

(Útero de paixões encantando o paladar da alma..)

Um abração, meu querido!

MamaNunes disse...

Alysson, meu amigo, quer dizer que andas "sonhoso"? *rsss..

Que texto!!!!!
Longe de ser santa, tenho desses pesados sonhos, dia e noite,
e não tenho despertador...

Você deve conhecer o poema:

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso prever ser nada.
À parte isso, tenho em mim
Todos os sonhos do mundo.
*Fernando Pessoa*

(Útero de paixões encantando o paladar da alma..)

Um abração, meu querido!